16/08/2015

Diário

Thiago Camilo e Ipiranga RCM ganham a Corrida do Milhão pela terceira vez

Piloto dedica vitória aos mecânicos, que

reconstruíram carro após grave acidente

Goiânia, 16 de agosto – A terceira vitória de Thiago Camilo em sete edições da Corrida do Milhão foi o final feliz para um drama que começou há dois domingos, em Curitiba (PR), em um grave acidente que destruiu o Chevrolet número 21 da Ipiranga RCM e provocou múltiplas lesões no tornozelo esquerdo do piloto. Depois de os mecânicos trabalharem 18 horas por dia na reconstrução do carro enquanto Camilo se submetia a sessões diárias de fisioterapia, veio mais um obstáculo: Camilo se classificou apenas na 12ª posição no grid de largada para a corrida mais importante do automobilismo nacional.

O cenário começou a mudar na largada, quando o pole position, Marcos Gomes, ficou lento e perdeu várias posições, prendendo atrás de si muitos pilotos que largavam por dentro. Thiago Camilo, que vinha por fora, saltou espetacularmente da 12ª para a 4ª posição. Se manteve nessa posição até a abertura da 12ª volta, quando ultrapassou Ricardo Zonta e assumiu o terceiro posto, tendo à sua frente Ricardo Maurício e o líder Daniel Serra.

Na abertura da janela de pit stops, Camilo e Serrinha entraram juntos, reabasteceram, trocaram os dois pneus de apoio - do lado esquerdo -, e o piloto da Ipiranga RCM saiu na frente. Ricardo Maurício parou três voltas depois e voltou à pista na liderança, com Camilo em segundo. Mas Ricardinho cruzou apenas a 20ª volta na liderança. Logo depois seu motor entrou em modo de segurança e apagou. Thiago Camilo assumiu a ponta na 21ª das 32 voltas e manteve uma diferença confortável sobre Daniel Serra até cruzar a linha de chegada com 2,245s de vantagem sobre o piloto da Red Bull. Ricardo Zonta completou o pódio em terceiro.

“Essa vitória é dos meus mecânicos. A dedicação e o carinho com que eles se dedicam ao meu carro, sem reclamar nem esmorecer nunca, especialmente quando acontece algum problema como o da última corrida, é emocionante. Depois da classificação, estava difícil até para mim acreditar numa vitória, mas meu chefe de equipe (André Bragantini) sempre acreditou, e isso é contagiante. A largada, quando eu fui de 12º para quarto, foi a chave para a vitória. Dali em diante eu tinha certeza de que poderia ganhar, sabia que meu carro era muito rápido em condições de corrida e minha equipe é fantástica no pit stop. Pensar que eu poderia nem estar aqui estar, há dois domingos eu estava no hospital...”disse um emocionado Thiago Camilo, que correu com uma sapatilha número 45 (ele calça 43) no pé esquerdo para acomodar uma proteção, e levou na sapatilha direita, do acelerador, o nome de todos mecânicos da Ipiranga RCM gravados.

Com os 24 pontos pela vitória, Thiago Camilo passou de nono a sétimo lugar no campeonato, com 91 pontos, Marcos Gomes continua liderando com 158.