19/10/2015

Diário

Thiago Camilo chega a Curitiba em sexto e volta para São Paulo em terceiro

Curitiba (PR), 18 de outubro – Thiago Camilo cumpriu perfeitamente seu objetivo de subir na tabela de pontos e seguir com chances de brigar pelo título, na décima das doze etapas da temporada 2015 da Stock Car. O piloto do Chevrolet número 21 da Ipiranga RCM chegou a Curitiba em sexto no campeonato, com 138 pontos, e voltou para casa, em São Paulo, em terceiro, com 165 pontos.

Na primeira corrida da rodada dupla, Camilo largou em oitavo, por fora, e saiu do esse no fim da reta em segundo, se aproveitando da confusão que envolveu, entre outros, os carros dos dois primeiros no campeonato, Marcos Gomes e Cacá Bueno., que formaram a primeira fila. Átila Abreu pulou na frente e, com a luz de freio apagada, impediu a aproximação de Thiago Camilo. A direção de prova chamou Átila para reparar o problema no box, mas o piloto sorocabano descumpriu a ordem e permaneceu na pista. Camilo ultrapassou Átila na 19ª volta, uma antes da abertura da janela de pit stops obrigatórios.

Quando parou, na 22ª volta, na liderança, Thiago Camilo trocou os dois pneus do lado esquerdo e botou dois galões de combustível. Vários pilotos que pararam depois optaram por abastecer com apenas um galão e, no caso de Lucas Foresti, trocar apenas um pneu, sacrificando as chances de disputar boas posições na segunda corrida. Assim, Lucas Foresti venceu a Corrida 1, com Allam Khodair em segundo – os dois não pontuaram na segunda corrida -, e Camilo acabou em sexto.

Na Corrida Dois, Camilo pulou de quinto para terceiro na largada, e lutou muito para segurar a posição até o fim após várias disputas, pois o aerofólio dianteiro do carro da Ipiranga RCM estava rachado, arrastando no chão, o que provocou desgaste excessivo do pneu dianteiro esquerdo. Max Wilson venceu, com Ricardo Maurício em segundo.

“Nossa estratégia era fazer o máximo de pontos, e só não teve um resultado ainda melhor porque houve muitas entradas do carro de segurança, e por isso carros que tinham menos combustível que o meu conseguiram se manter até o fim da segunda corrida. É duro sacrificar uma vitória quase certa como a da primeira corrida, pois eu estava na frente com uma boa vantagem para o segundo quando entrei no pit, mas temos quer cumprir a estratégia. Com os líderes marcando poucos pontos, demos um passo importantíssimo para chegar na última corrida com chances de brigar pelo título, que é nosso objetivo”, disse Camilo.

Galid Osman bateu em Ricardo Zonta, que rodou à sua frente, na largada da primeira corrida. Ele teve a frente do Chevrolet 28 avariada, entrou no pit, trocou o radiador e voltou à pista para ter o direito de largar na Corrida 2. Partindo do 28º posto e com o carro desequilibrado em função da batida, Galid fez uma prova de resistência e ganhou quinze posições para pontuar em 13º.

A penúltima etapa acontece dia 8 de novembro em Tarumã (RS).

OS TOP 5 DO CAMPEONATO

1 – Marcos Gomes – 220 pontos

2 – Cacá Bueno – 183

3 – Thiago Camilo – 165

4 – Max Wilson – 161

5 - Allam Khodair – 160