04/05/2013

Diário

Bia Figueiredo aprova mudanças, mas diz que o Esse continua crítico

São Paulo, 3 de maio - Bia Figueiredo deu uma volta a pé pelos 4.080 metros da pista do Anehmbi, onde correrá pelo quarto ano consecutivo domingo, na São Paulo Indy 300. A piloto da Dale Coyne, que corre com as cores da Ipiranga, aprovou o alargamento do Esse do Samba, área mais crítica do traçado, em que os carros chegam depois de uma longa reta onde chegam a 280km/h, e onde sempre houve acidentes nas edições ateriores do GP paulistanao.
“Agora já cabem dois carros na entrada do Esse, onde sempre aconteceram os acidentes. Ano passado eu mesma fiquei por ali. A saída do esse, contudo, continua bem estreita, talvez os problemas só mudem de lugar. Mas temos que louvar o trabalho dos organizadores da corrida, estamos apenas no quarto ano e já temos um traçado de rua que é referência na categoria”.
Bia reafirmou que seu objetivo corrtendo em casa é ficar entre os dez pirmeiros, o que seria seu melhor resultado na F-Indy. “Estamos evoluindo, na última corrida fiquei em 14º, e sem dúvida posso ir mais para a frente”. Como participou de todas edições da Indy em São Paulo, e os circuitos temporários também não recebem testes, esta é a pista onde Bia tem a mesma quilometragem de todos os adversários, o que também justifioca seu otimismo. Ano passado, competindo pela Andretti, Bia largou em 19º e andou cerca de um terço da prova entre os dez primeiros. No fim da corrida, depois de um engavetamento à sua frente, acabou tocando a traseira de Tony Kanaan no Esse. Amanhã acontecem os treinos livres – a partir das 8h30min e a classificação, com transmissão ao vivo da Band e Band Sports, começa às 14h35min.